Conheça o projeto casa sustentável desenvolvido pela UTFPR

Quem não gostaria de morar em uma casa sustentável.

É o sonho de muitos brasileiros: uma casa nova, toda planejada e econômica, sem desperdício. O projeto chamado escritório verde, ou também conhecido como casa sustentável foi concebido e é coordenado pelo designer Eloy Casagrande Júnior, professor do Departamento Acadêmico de Construção Civil da UTFPR, PhD em Inovação Tecnológica e Sustentabilidade. Para viabilizar as obras, a universidade te­ve o apoio de 40 empresas, que doaram tecnologia, equipamentos e mão de obra para instalações. A casa de concreto mesmo, no sentido literal da palavra, só possui as fundações. O material utilizado na construção parece madeira, mas ao ser tocado nota-se que a madeira é mole. Isso porque de fato não é madeira e sim PVC. Essa tecnologia já existe lá fora há bastante tempo e consiste em um sistema construtivo que usa ‘wood frame’, um sistema de construção a seco com painéis de madeira em revestimentos internos e externos”, explica o professor Eloy Casagrande.

Ao entrar na casa, as surpresas continuam. A madeira usada para construir as janelas nasceu em um laboratório. É uma espécie de eucalipto geneticamente modificado e mais resistente. As paredes vêm de reflorestamento, com madeira certificada. São duplas para receber uma forração especial: um aspecto de algodão que o professor usou garrafas PET.

“Exatamente. São garrafas comuns. Para cada metro quadrado, eu usei 30 garrafas para reciclar. É um produto já usado no mercado. São sete mil garrafas que nós tiramos do ambiente para colocarmos na casa. Ela dá uma sensação agradável para quem está na casa tanto no inverno quanto no verão”, afirma o professor Eloy Casagrande.

A placa de borracha é feita de pneu velho. “Pneu reciclado que é retirado do meio ambiente. Para cada metro quadrado de uma manta de cinco milímetros, eu tenho até três pneus reciclados. Em uma contabilidade que, por cima na casa, deixamos de jogar no meio ambiente 540 pneus”, calcula o professor.

Para chegar ao segundo andar da casa, a escada é ecologicamente correta e sustentável. Ela é feita com um material que parece aquele brinquedo de montar. “Isso é resíduo de escada de madeira de uma fábrica de escadas, que forma painéis com os toquinhos que sobram e acabam formando a escada. Esses toquinhos iam para o lixo. Vira quase uma peça de arte, uma estrutura”, explica o professor Casagrande.

Um dos pontos mais interessantes da casa fica no terraço no segundo andar. Em vez de usar um piso tradicional, eles preferiram grama. Forraram com grama a parte superior da casa. “É um isolamento térmico-acústico. Além de beneficiar a estética da cidade – se todos os prédios tivessem um telhado verde, seria uma maravilha – absorve água e carbono, e eu reduzo a temperatura interna de 3°C a 5°C”, diz o professor.

A água da chuva será coletada para regar as plantas e ser usada nos sanitários. No telhado, serão instaladas placas solares e uma turbina de energia eólica. Sol e vento vão gerar energia, e isso vai aparecer em um dos relógios instalados dentro da casa.

Não é bonito, mas é uma sala de aula. Outro relógio mostra o quanto a casa consome e um terceiro, quanto vai sobrar de energia. A produção eólica e a produção solar vão ser capazes de abastecer toda a casa e ainda sobrar energia?

“Depende de quanto tenho de sol e de vento. Ainda dependo do clima. Mas digamos que eu esteja de férias em janeiro, por 30 dias, e a captação solar seja intensa nesse período de verão. Eu posso dar essa energia passando direto para a rede. Eu me torno um gerador de energia na rede”, explica o professor.

A sobra poderá ser vendida à companhia de energia elétrica em um sistema inteligente de geração e consumo. Da construção da casa sustentável que gera sua própria energia, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná tem também o projeto de um carro elétrico. Os dois projetos se somaram, já que a casa é capaz de alimentar o carro.

O carro ainda é um protótipo e está em fase de teste. A casa é um laboratório. Mas que ninguém duvide: projetos como esses já estão voando baixo no mundo inteiro. O Escritório Verde da UTFPR poderá ser visitado pela comunidade em geral, com prévio agendamento. Informações pelo site www.escritorioverdeonline.com.br

Informação de: Jornal Floripa

Anúncios
Esse post foi publicado em Eficiência Energética, Energia Limpa, P&D e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Conheça o projeto casa sustentável desenvolvido pela UTFPR

  1. Esse projeto é muito interessante porque mostra na prática que não precisamos parar o desenvolvimento de uma cidade um país para preservar nossa natureza ao contrário do que líderes políticos pensam.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s