Novos parques tecnológicos da cadeia de óleo e gás no Brasil

Centros de pesquisa da cadeia O&G

O Parque de Santos, em São Paulo, e o Sapiens Parque, da UFSC, em Santa Catarina – se preparam para atrair centros de pesquisa de fornecedores e prestadores de serviço da cadeia de óleo e gás no Brasil. O rearranjo do polo de pesquisa e desenvolvimento para o setor tem como motivações não somente razões estratégicas e logísticas da Petrobras, a maior fomentadora de pesquisas em óleo e gás no país, mas também o fato de o espaço físico do Parque Tecnológico do Rio, no principal campus da UFRJ, onde pelo menos dez empresas da área terão centros tecnológicos, já estar saturado.

Fora do eixo Rio-São Paulo, o catarinense Sapiens Parque abrigará, a partir de dezembro, sua primeira grande unidade de pesquisa, o Instituto de Petróleo, Gás e Energia (Inpetro). A instalação terá 30 laboratórios voltados para projetos de pesquisa, prestação de serviços especializados e formação de recursos humanos. Cerca de R$ 30 milhões, aportados pela Petrobras, serão investidos no empreendimento, onde trabalharão cerca de 170 pesquisadores. Os laboratórios ocuparão uma área de 8.700 m² em dois edifícios.

O investimento total nas cinco fases de implantação do Sapiens, que termina em 2020, será de R$ 2,3 bilhões, incluindo infraestrutura, projetos e edificações. Fiates adianta que pelo menos outros três empreendimentos voltados para o setor petróleo da magnitude do Inpetro estão na agenda de expansão do parque. A expectativa é que, nos próximos dois anos, o parque tenha um novo projeto na área de mecatrônica ou computação gráfica.

O Parque Tecnológico de Santos parte, atualmente, para sua segunda fase de expansão, rumo a Guarapá, parte continental da cidade. O movimento não é aleatório: em Santos, especificamente no bairro de Valongo, começará a ser construída, ainda neste ano, a sede da Unidade Operacional da Bacia de Santos (UO-BS) da Petrobras. A iniciativa deve atrair para a região empresas voltadas a atividades operacionais que exijam maior espaço, como parques de tubos e equipamentos relacionados.

Companhias como Petrobras, OGX, Maersk, BG, Modec, Schlumberger, Halliburton, Baker Hughes e Transocean já possuem escritórios no local, a maior parte na área urbana do parque, distribuída pelos bairros de Valongo, Vila Mathias e Vila Nova. Neste último será instalada a sede da Fundação Parque de Santos, além de uma incubadora de empresas e um novo núcleo do Cenpes, da Petrobras.

Informação de: Ilumina

Anúncios
Esse post foi publicado em Investimento, P&D, Petróleo & Gás e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s