FRESP apoia uso do Diesel S-50 para o transporte profissional de pessoa

O uso do diesel S-50, com menor teor de enxofre, agora é obrigatório em Campinas, Baixada Santista, São José dos Campos e Rio de Janeiro para veículos de transporte de passageiros. A FRESP – Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo aposta na redução da poluição ambiental e negocia formas de manter o abastecimento da frota de ônibus do setor.Entrou em vigor, no dia 1º de janeiro deste ano, a Resolução n0 43/2008 da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que obriga veículos de transporte de passageiros a utilizarem no seu abastecimento o óleo diesel S-50, desenvolvido pela Petrobras. A medida vem sendo implantada aos poucos em todo o País desde 2009 e agora chega às regiões de Campinas, Baixada Santista, São José dos Campos e Rio de Janeiro.

O diesel S-50 é um combustível mais limpo do que o S-500, que vinha sendo utilizado pelas empresas de ônibus. Sua composição tem menos 90% de enxofre do que a versão anterior. Sua substituição é fruto de acordo firmado com a participação do poder público, agências de petróleo e gás e montadoras de veículos de todo o território nacional, com objetivo de reduzir da emissão de poluentes na queima do diesel. O novo combustível S-50 (com 50 partes por milhão de enxofre ppm) tem menor teor de enxofre, o que traz benefícios ambientais e aumenta o desempenho do motor.

Para Regina Rocha, diretora executiva da FRESP – Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo, a utilização de novas tecnologias são sempre válidas quando o assunto é minimizar os efeitos nocivos do homem à natureza. “Com todos os problemas climáticos que estamos enfrentando, é preciso fazer bom uso de todas as possibilidades que temos para proteger o meio ambiente. Por isso, os nossos associados sempre buscam investir na compra de equipamentos modernos, que minimizam a emissão de gases tóxicos na atmosfera”, destaca.

De acordo com informações da Petrobras para garantir a produção doméstica total do combustível, a empresa está investindo US$ 4 bilhões até 2012. O objetivo é ter plena capacidade produtiva do diesel para atender o mercado brasileiro, sem depender de importação. No entanto, algumas empresas associadas à FRESP relatam dificuldades para aquisição do diesel S-50.

“Já tivemos relatos de empresários que encontraram dificuldade ao buscar o combustível. Por isso, realizamos um levantamento das necessidades do setor e temos negociado com fornecedores a melhor forma de abastecimento”, afirma Regina Rocha.

Até 2013, a Petrobras pretende investir mais US$ 6 bilhões na produção de um combustível, para veículos pesados no Brasil, ainda menos poluente, o diesel S-10 (com concentração de 10 partículas por milhão de enxofre).

Fonte: Segs

Anúncios

Sobre Lincoln Herbert

Professor de Tecnologia da Informação.
Esse post foi publicado em Biomassa, Transporte e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s