Reatores para Refinaria de Araucária desembarcam no Porto de Paranaguá

Desembarcaram nesta sexta-feira (14) no Porto de Paranaguá dois reatores que serão utilizados na Unidade de Hidrotratamento de Diesel da Refinaria presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária. Os dois equipamentos pesam, juntos, cerca de 570 toneladas e possuem 4,4 metros de diâmetro por 13,5 metros de altura. Eles ficarão armazenados no porto de Paranaguá até que o desembaraço alfandegário da carga esteja concluído. As peças, de fabricação indiana, foram desembarcadas com ajuda dos guindastes de bordo do navio BBC Switzerland. De acordo com o chefe de operações do Porto de Paranaguá, Luiz Teixeira da Silva Junior, o desembarque da peça ocorreu sem complicações. “Como se trata de um navio auto-descarregável, ou seja, com guindastes de bordo, nosso papel no porto é dar condições físicas, de resistência de solo e pátio adequado para receber estas peças tão pesadas”, explicou.

De acordo com George Melco, engenheiro da Petrobras e um dos responsáveis pela obra na Unidade de Hidrotratamento de Diesel, a principal finalidade da obra é melhorar a qualidade do diesel produzido na Refinaria de Araucária. “Em resumo, com esta usina, será possível diminuir a quantidade de enxofre no combustível e, por conseqüência, será possível melhorar a qualidade do ar que respiramos”, explicou.

Além dos dois reatores que chegaram nesta sexta, estão previstos outros três para compor a Unidade de Hidrotratamento. De acordo com Francisco Fernandes Filho, gerente de empreendimentos da Repar, outros dois reatores devem chegar ao Porto de Paranaguá no final de fevereiro e o terceiro e último chegará na seqüência. Com isso, de acordo com Fernandes, a Repar finaliza a importação de equipamentos de grande porte para o programa de modernização da Refinaria de Araucária.

As peças permanecem no pátio do porto sobre suportes de sustentação conhecidos como “pata de elefante”. O deslocamento até a Refinaria, em Araucária, está previsto para acontecer na primeira quinzena de fevereiro e será feito em duas etapas, sendo transportado um reator por vez. Devido à complexidade do trajeto na subida da BR-277, cada transporte levará em torno de 15 dias.

Fonte: AgênciaDeNotíciasPR

Anúncios

Sobre Lincoln Herbert

Professor de Tecnologia da Informação.
Esse post foi publicado em Petróleo & Gás e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s