PCHs – Muita Energia e Oportunidade no Paraná

Estudos indicam a possibilidade de 245 projetos de Pequenas Centrais Hidrelétricas em todo o estado, criando um grande mercado de trabalho. O Paraná verá surgir, ao longo dos próximos anos, um número cada vez maior de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) em praticamente todas as suas regiões.

Estudos já realizados indicam a possibilidadede 245 projetos de PCHs em todo o estado – atualmente são 30 em operação(181 MW), duas em construção (29 MW) e 23 já outorgadas (370 MW). Segundo ocoordenador da Câmara Especializada de Energia Elétrica do CREA-PR, engenheiro eletricista Nilton Camargo Costa, 148 PCHs já estão com empreendedor definido ou em processo de definição, totalizando 1.400 megawatts de potência instalada. Esses números significam não apenas a expansão do setor energético paranaense, mas também o surgimento de uma grande oportunidade de mercado para engenheiros, agrônomos, arquitetos e técnicos.

PCH é uma usina hidrelétrica de pequeno porte, com capacidade instalada superior a 1MW e inferior a 30 MW Conforme explica o engenheiro eletricista Rolf Gustavo Meyer, presidente da Associação Paranaense de Engenheiros Eletricistas (APEE), outra característica é que a superfície do lago formado pelo reservatório deve ser menor do que 3 km”, de acordo com a Resolução n? 394, da AgênciaNacional de Energia Elétrica (ANEEL).

A usina opera praticamente a “fio d’água”, ou seja, fluxo contínuo. O reservatório não permite uma regularização do volume de água. Por esse motivo, em época de estiagem, a vazão disponível pode ser menor que a capacidade de geração das turbinas. Elas são instaladas em rios pequenos e médios, porém com desníveis significativos durante o percurso.Têm impactos ambientais reduzidos e geram energia de forma descentralizada.

Principal responsável pelo setor energético no Paraná, a Companhia Paranaense deEnergia (COPEL) possui participação minoritária em nove PCHs a serem implantadasno estado. A empresa também mantém aberta uma chamada pública, convocando investidores que tenham direitos sobre os demais projetos de PCHs para firmar parcerias, conforme o engenheiro eletricista David Severino de Rezende, assistente do Diretor de Engenharia da COPEL.

Segundo o presidente da APEE, o investimentomédio para a construção de uma PCH é de R$ 4,5 a R$ 6 milhões por mega watt instalado. “Considerando uma PCH de médio porte (10MW), suficiente para atender uma grande indústria ou uma pequena cidade, custará aproximadamente R$ 50 milhões”, explica Meyer com base em dados da ANEEL. Juntas, as PCHs devem acrescentar mais 1.402 MW ao parque gerador, ou seja, o equivalente a uma grande usina da COPEL. A conclusão das obras de instalação desse empreendimento leva entre 18 e 24 meses.

Fonte: Revista CreaPR edição dezembro/2010

Anúncios

Sobre Lincoln Herbert

Professor de Tecnologia da Informação.
Esse post foi publicado em Geração Distribuida, Investimento e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s